| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

DÚVIDAS E CERTEZAS

Page history last edited by silvanasantos07@yahoo.com.br 15 years, 9 months ago
96.Como a tecnologia e as novas mídias podem auxiliar no processo de ensino-aprendizagem?

PARTICIPANTES

DUVIDAS

CERTEZAS

Mara

Na verdade, não tenho dúvidas!

Sei que esse é o caminho natural em que a educação se encontra, e seu rumo está cada vez mais materializado. E, mesmo que não fosse, esse é o caminho que no meu universo, utópico, está sendo aberto. Labuto por isso.

Todos sabem que sou Treker...

Não preciso explicar mais nada!

Ah, me apareceu uma bandida!

Porque o isolamento numa SAI (sala ambiente de Informática)?

Já pensou? Não peço muito, mas, uns cinco computadores por sala de aula...  Eu ia fazer misérias com meus alunos, não precisava nem da Internet! Aliás, minha SAI vai ganhar Internet até o fim do ano! Já me imaginaram, vou provocar um surto coletivo, hehehehe....

Na medida em que o aluno torna-se agente no processo de construção do conhecimento por meio da ação-reflexão-depuração-ação, ele envolve-se e assume-se como responsável por sua própria aprendizagem. Embora, muitas vezes, a informação via computador chegue ao aluno através da transmissão, no caso de ambientes fechados, o aluno pode apropriar-se dela e transformá-la em conhecimento seu ou em novo conhecimento que retorna ao computador retro-alimentando o processo de aprendizagem. 

O professor dentro desse processo, através da metodologia que adota, pode simplesmente deixar o processo morrer aí, ou utilizá-lo como provocador de novas descobertas.

_______

Como contagiar a velha guarda de professores acostumados com o barato do pó de giz e ao amarelão das folhas?

Desestruturando-os a partir das ações realizadas junto aos próprios alunos, é assim que ajo. Na surpresa, chamando alunos em horário inverso e trabalhando com eles projetos elencados por nós; no turno corrente, invadindo a sala de aula e avisando que tem horário disponível (pressão), encantando e infectando o professor com o vírus da novidade. Aos poucos, eles acabam desenvolvendo seus próprios projetos para realização em conjunto com a Informática.

De que maneira inserí-los no universo virtual de que nossos alunos e nós, poucos, já fazemos parte? Vez por outra, a direção me permite realizar com os professores oficinas, de maneira que eles atuam e recebem desafios semelhantes aos dos alunos na Informática, aos poucos alguns vão entendendo que computador não serve apenas para digitar e no envolvimento de responder um desafio e criar um objeto de aprendizagem, vão aprendendo a usar o computador sem sentir, idéias vão surgindo e mais gente vai se achegando.

Sou professora de Informática Educativa há três anos e consegui pouca coisa entre meus colegas de escola! Mas, nem por isso desisto, essa é a minha bandeira dentro da Escola há oito anos. Pouca coisa em relação a suas buscas pessoais por renovação pedagógica, mas muita coisa em relação a inserção dos alunos ao uso das tecnologias. Criei a cultura do Laboratório de Informática, o montamos, com ele veio a cultura das salas ambientes, as criamos, penso que devo ser como a água, humilde e mansa, constante em suas ondas, um dia eu furo a rocha, embora ela continue a pensar que é sólida!

Eles andam com "passos de formiga e sem vontade!" Mas, a força mesma da evolução  os atropela ou os coloca na trilha.

Marília

A minha única dúvida é: como as tecnologias serão apropriadamente adequadas a todas as pessoas, para que estas possam ser auxiliadas e muito, com todas as tecnologias atuais? E dee que forma isso se dará?

O aluno é um agente na construção de seu conhecimento. Suas aprendizagens estão sempre se atualizando e se ampliando. Dentro dos conteúdos apresentados ou até mesmo no seu cotidiano, acredito que o indivíduo esteja sempre adquirindo e edificando seus conhecimentos. Com a tecnologia ao seu alcance se torna mais fácil e mais rápido de ele passar a receber tais informações. Também, por intermédio delas, pode haver mais desejo de busca satisfatória, tendo em vista tantos recursos que pode usufruir.

Neila

Como inserir novas tecnologias em escolas sucateadas, com professores despreparados para lidar com tecnologias? É possível usar tecnologias sem  acesso a tecnologias?

Digamos que este acesso seja real. A escola tem computadores...

De que forma poderemos introduzir o uso do computador e de mídias dentro de nosso planejamento?

Como escolher quais os melhores recursos a serem utilizados ?

O que de fato são considerados tecnologias ?

De que novas mídias estamos nos referindo ?

O que é próprio para cada faixa etária  em relação aos recursos da internet e do PC ?

Como se dá a aprendizagem via PC (imagens virtuais, telas que se apagam, estímulos múltiplos...) no cérebro do sujeito?

 A mudança radical da postura do aluno do papel e lápis para o virtual, como ela se processa?

 O uso de tecnologias dá conta da aprendizagem de todos os alunos? Os alunos que são auditivos, que tem este sentido mais desenvolvido, não ficariam prejudicados, já que o visual prevalece ao auditivo  no uso do PC ?

 

 A certeza de que a escola precisa mudar, que os professores precisam se atualizarem... Não é possível competir com o computador usando o quadro e o giz.

A escola precisa perceber que o aluno já traz consigo determinados aprendizados, vive em ambiente com diferentes recursos e estímulos, e por tanto a escola precisa acompanhar esta realidade; e se o aluno não dispõe de recursos tecnológicos em casa, a escola tem que prover, para que este seja incluído no espaço tecnológico em que vivemos, sob pena de desadaptá-lo. Como diz o Professor Pedro Demo: “A escola precisa levar a sério a modernização”.

Perceber a importância do uso de tecnologia na aprendizagem, o salto de qualidade é tranqüilo, pois vemos o aluno usar sua autonomia, sua liberdade para construir seu próprio conhecimento. Vemos que estes recursos favorecem a autoria, uma vez que permite criar, colocar a criatividade a serviço da aprendizagem. Em suma, permite que cada sujeito se coloque como ser único com sua bagagem, e sobre tudo, como autor que deixa impregnado em seus aprendizados sua marca, sua história.

Mas estamos longe desta realidade em nossas escolas públicas, onde estão matriculados 90% dos alunos na idade escolar. Se quer temos professores, computadores, infraestrutura.

Precisamos mudar...Mas como? Começar por onde?

 

 

 

Neuza

 E pergunto mais ainda, como se sabendo a impotância do uso d tecnologia no ensino-aprendizagem como a maioria das Escolas Públicas ainda não dipõe do uso dessa tecnologia. Como se explica isso? Descaso do governo? Falta de interesse por parte do setor administrativo e diretivo da Escola?

Falta de recursos e verbas do governo?

E mais ainda, como escolas, como no caso, a minha, dispõe de um laboratório de informática com instalações e terminais não consegue da Secretaria de Educação um técnico para operar ?

Porque não permitem, como no caso da minha escola, que nós professores, nem sequer visite essa sala? Porque todo "esse mistério"?

Será que só a "velha guarda" de professores está desinteressada? E a vanguarda como se comporta frente a tudo isso? Se mostra interessada ou desmotivada? E a equipe diretiva como age?

Agora as dúvidas, como se portariam nossos alunos se dispusessem de carteiras eletrônicas, será que riscariam sobre as mesmas como fazem com as atuais?

 - Permite a discussão, a reflexão e a tomada de decisões onde os recusrsos informáticos atuam como mediadores do processo ensino-aprendizagem.

- Permite que  várias pessoas ou alunos trabalhanem na mesma estação ou através de computadores ligados em redes.

- Facilitam a aprendizagem e sobretudo a aprendizagem colaborativa.

 -Apezar do aluno se apropriar da sua aprendizagem o professor é o condutor dessa aprendizagem .

- O computador não substitui o professor.

- Permite que o aluno através da tentativa de acerto e erro construa sua própria aprendizagem, sem reprimendas ou constrangimentos por parte do professor.

- O aluno sempre é estimulado a tentar novamente, descaracterizando o medo de errar, que inibe, principalmente, os alunos mais tímidos e inseguros.

- Que blogs, wikis são plataformas ideais para que o aluno se transforme em autor do seu próprio conhecimento, pois exprime suas idéias e socializa sua aprendizagem de forma pública.

 Colegas acatei a sugestão da tutora Daisy e acessei o site sugerido. E constatei algumas novidades que ainda desconhecia e que inclusive já são usadas em uma escola da rede pública da cidade de Pelotas. Vejam quanta novidade enquanto muitas de nós ainda está pleiteando uma sala de informática.

Ferramentas da Escola do futuro: lousa digital, carteiras eletrônicas e animações em 3D.

As lousas digitais substituiriam o "famigerado" quadro negro( verde) e o pó de giz. Com essa ferramenta as imagens se movimentam com um toque das maõs, permitindo que os alunos se sintam "co-autores" na elaboração e construção do conhecimento. Nessa escola de Pelotas os professores recebem treinamentos constantes para se addaptar a essa nova tecnologia.

Um exemplo de programa que pode ser usado na lousa digital é o software em três dimensões que permite a elaboração de aulas interativas.E são de fácil manuseio, basta tocar o dedo na tela para, por exemplo, o sistem a solar aparecer. Lembra, Mara que tivemos oprtuidade de sentirmos um pouco deste gostinho quando no curso de Astronomia que fizemos o ano passado em que o professor simulava inclusive a posicão das estrelas no céu num deteminado horário? Que maravilha!...

As carteiras eletrônicas também conhecidas como Lap Tup-niquim que possui uma tela sensivel a toques onde o aluno pode esrever, fazer desenho ou equações e em que o tampo pode ser levantado e aparece um teclado onde os dados poderão ser digitados e cuja CPU fica aclopada embaixo da carteira. Quanta tecnologia a favor do homem....( Vou dormir já é tarde, voltaremos...).

Sandra

 Gentenn!!! Eu já tinha escrito aqui... Só não sei onde foi parar?!?!?! MAS ENFIM....

Como se dará o preparo dos professores para usar estas novas tecnologias? Será que a escola vai proporcionar estes treinamentos ou cada professor deverá procurar estes conhecimentos por sua conta e risco?

 

 

 Neuza, eu também li esta reportagem e fiquei encantada. Lá na minha escola, nós só temos internet na secretaria e na direção, na biblioteca é impossível pois poderia ser usada de forma indevida. A sala de informática é trancada a sete chaves e quando alguém quer usá-la precisa andar atrás da chave que ninguém sabe com quem está, dificultando ao máximo o acesso

Silvana

De que forma as novas tecnologias podem ser incorporadas ao projeto pedagógico? 

De que forma os professores poderão se apropriar disso?

O uso da tecnologia nas escolas exige formação, compromisso e envolvimento de toda a gestão escolar. 

Apesar dos avanços com as formações de educadores para o uso das tecnologias, existem ainda, muitas dificuldades, como a falta de materiais e de condições físicas adequadas, dentre outras.

É comum ver nas escolas, salas com computadores trancados, sem o devido aproveitamento.

Outras vezes esses computadores são usados exclusivamente nas aulas de informática, sem se incorporar ao projeto pedagógico.

O professor deve dar sentido ao uso da tecnologia. Não basta ter, na escola, laboratório de informática e não permitir a exploração dos materiais disponíveis de forma que possa produzir conhecimento.

 

 

Mensagem do Professor Eliseu

 

"Olá meninas, Verifiquei que vocês já fizeram um

mapa conceitual no PBwiki... ótimo :-) Vocês só

têm que oficializar a pergunta. Na discussão de

vocês no PBwiki vi que a Mara sugere que tenha

ficado a pergunta 96... é isso mesmo? Se houver

necessidade, podemos ainda fazer ajustes depois.

Só fica difícil mudar a pergunta

radicalmente. Como vocês perguntaram no fórum,

a próxima etapa consiste em elaborarmos uma tabela

com dúvidas e certezas que temos com relação à

pergunta selecionada. As dúvidas são

questionamentos que temos e que podem contribuir

na busca por respostas a nossa questão norteadora.

As certezas são informações e conhecimentos que já

possuímos relacionados à pergunta

selecionada. Procurem montar esta tabela de

maneira colaborativa no PBwiki do grupo. Temos uma

semana para fazer isso. Grande abraço e bom

trabalho, Eliseo"

Aviso: Esta mensagem foi enviada por Eliseo Berni

Reategui, disciplina SEMINÁRIO INTEGRADOR VB

através do ROODA - UFRGS

 

Comments (2)

Daisy said

at 4:02 pm on Sep 18, 2008

Olá, pessoal!

Então, a partir da tabela de vocês, faço algumas questões:

DÚVIDAS

Mara:
De que maneira inserí-los no universo virtual de que nossos alunos e nós, poucos, já fazemos parte?
*Será que essa é uma dúvida ou vocês já sabem o que pode ser feito, especialmente depois do PEAD?
A colocação “Eles andam com "passos de formiga e sem vontade!"” não seria uma das respostas?

Neila:
Como inserir novas tecnologias em escolas sucateadas, com professores despreparados para lidar com tecnologias?
*Será que essa é uma dúvida ou vocês já fizeram alguma constatação ou sabem o que é necessário fazer? Se sim, coloquem como certeza, fazendo o devido complemento.


E assim por diante...
Avaliem cada dúvida para ver se é realmente uma dúvida ou se já é uma certeza. E busquem aprofundar um pouco mais as discussões para ver outras dúvidas, ou seja, aquilo que realmente é uma questão, uma coisa que não se sabe e se quer saber, entendem? Comparem com as certezas e vejam se há contradição.

CERTEZAS
Neila
(no final do comentário...) Precisamos mudar...Mas como? Começar por onde?

*Isso deve passar para as dúvidas?

Avaliem cada certeza para ver se são realmente certezas, se podem ser comprovadas ou geram dúvidas no grupo.

Avaliem se as dúvidas e as certezas ajudam a responder a pergunta do projeto.

Abraços

Daisy said

at 9:25 am on Sep 19, 2008

Gurias,
esse site pode ser interessante para o trabalho de vocês.
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/journal.action?editionId=2

Abraços

You don't have permission to comment on this page.